quinta-feira, 18 de maio de 2017

Waiting/esperar

18.5.17

Há duas coisas para as quais nunca tive jeito. Esperar e trabalhar em equipa. Estar dependente do que os outros tem de fazer. 
Estou por isso, à espera. À espera de aprovar ideias dos outros sobre o meu trabalho. Falta pouco. Esperar, dizem que é uma virtude. 
Não estou curiosamente nem ansiosa, nem nervosa. Eu sei que ficará perfeito. 
E falta pouco. Muito pouco. 
Vai valer a pena. É como diz a amiga da Sónia Sapinho: ter sorte dá muito trabalho. E dá. 5 meses de muito trabalho e muitas horas sem dormir que nunca vamos recuperar (diz a ciência); como diz a Christine, i will sleep when i never have to wake up again. 
Ter filhos, plantar uma árvore, escrever um livro, escrever outro. 
No final, não que não queira que sintam orgulho em mim, no meu trabalho. Mas, acima de tudo, que eu mesma sinta.
Esperar. Mas sempre com as mãos ocupadas.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Afinal, não sei escrever português

10.5.17
              

Muitas vezes as pessoas dizem que dou muitos erros, e é mesmo verdade. Em dias como o de hoje, apercebo-me de facto de como dou muitos erros de gramática, nunca sei onde ficam os acentos. 
Na realidade eu só soube da existência de acentos já tinha 10 anos. Quem me ensinou a escrever português foi a minha mãe. Ela só tem a terceira classe. Foi um grande feito, parece-me.
Eu nasci e vivi no Canadá até aos dez anos, e, por muito que leia, por muito que me esforce, tenho este pequeno senão. Não fica bem nos posts, muito menos nos livros. Gosto muito da minha revisora, porque ela deve ser alguem muito paciente.
Consegues adivinhar quem sou eu na fotografia?
 

terça-feira, 9 de maio de 2017

Registos

9.5.17

Há qualquer coisa que me atrai nos registos, e não falo das milhares de fotos com que inundo a internet e que são do meu trabalho, mas falo de resgistos diferentes. Todos os anos tiro uma fotografia  para sinalizar o meu aniversário, esta que seguro é a do ano passado, mas um dia hei-de passar aqui as que tenho tirado ao longo dos anos. Esta do ano passado não fui eu que tirei, mas normalmente são selfies.
Breve tiro outra. 
Um ano, quase. Neste ano tenho outros registos, uns que não mostro porque não quero, uns que não mostro porque não posso, outros não mostro ainda, mas mostrarei breve. Dizem que é dia 23 de Junho.
Os registos tem algo de intemporal, este registo de que falo, é dos que ficam, que vão prolongar-se ao longo dos anos, uma especie de presente, uma espécie de prolongamento de quem eu sou, de quem nos somos. 
São assustadores, sempre, estes pequenos saltos. 

terça-feira, 2 de maio de 2017

May i.

2.5.17

#seethingswithyourheart #seepeoplewithyourheart #makeallthingswithyourheart